Profissionais de beleza e estética são atualizados sobre tendências do segmento

jose-luiz-de-paula-junior-foto-mauricio-maronNo primeiro dia, o público conheceu a Lei 13.352/2016 já em vigor, que desobriga a contratação de profissionais de beleza no regime CLT. Pela Lei, os salões podem firmar contratos de parceria com profissionais (cabeleireiros, barbeiros, esteticistas, manicures, depiladores e maquiadores), que atuarão como autônomos, sem vínculo empregatício. Segundo a especialista em gestão de salões, Rosângela Barchetta, o projeto prevê que o dono do salão e o profissional parceiro dividam a receita bruta sobre os serviços prestados, explorem o mesmo espaço, sendo cada um responsável pelo pagamento dos tributos e impostos referentes a sua parte. “Além de dar mais segurança à questão trabalhista, a mudança torna o mercado com uma concorrência mais leal”, explicou.

Aliado as mudanças na Lei, o Encontro tratou das questões sensoriais que influenciam no comportamento dos seres humanos e que podem ser aliadas na hora de definir ações estruturais para o negócio. Segundo o especialista no segmento de Beleza e Estética, José Luiz de Paula Júnior, “os salões precisam estar atentos a elementos estruturais dos estabelecimentos, como cores, piso, decoração e cheiro, que podem fidelizar ou não o cliente”, declarou.

“O segmento de Beleza e Estética representa uma grande pujança na geração de emprego e renda”, revelou a gerente regional do Sebrae Ilhéus, Claudiana Figueiredo, durante o evento. O Encontro com o Especialista integra uma série de eventos focados em segmentos de grande relevância na região.

As informações e experiências passadas pelos especialistas vêm somar, segundo as empresárias e presidentes das Associação dos Profissionais de Beleza e Cosméticos (Asbelc) de Ilhéus, Marta Alves Teixeira, e da mesma associação em Itabuna (Asbeles), Maria Eugênia Sertorio. Ambas profissionais estão inseridas ainda no Plano de Melhoria de Desempenho Empresarial do Sebrae (MEDE), outra ferramenta do Sebrae que estimula a competitividade dos pequenos negócios.


Comentários