José de Abreu se defende de episódio do restaurante em São Paulo e diz não ao golpe

: Deu no Metrópoles

José de Abreu falou, durante participação no “Domingão do Faustão”, sobre o episódio em que cuspiu em um casal em um restaurante japonês em São Paulo. Mesmo após a repercussão negativa que o ato teve na internet, o ator afirmou que foi a vítima. “Uma atitude que é feita por reação não deve ser levada em conta. A dele (o homem que o agrediu verbalmente) foi pensada, ele poderia ter evitado”, argumentou.

Durante os quase 30 minutos de entrevista, José de Abreu relatou sobre o episódio do restaurante, afirmando que não estava embriagado e que sua reação foi a de “um ser-humano normal”. O ator disse que estava ao lado da esposa quando foi agredido verbalmente. “É muito fácil você petista que rouba dinheiro do povo vir comer em um restaurante japonês. Você é um ladrão filho da puta, eles disseram”, relatou o artista.

O ator também comentou sobre o atual cenário político do Brasil criticando o PMDB. “Impeachment sem crime de responsabilidade, como disse o ministro Marco Aurélio de Mello, é golpe. Querem entregar o país ao PMDB do Rio, esse aí que derruba ciclovia”, atacou. Ele também citou Moreira Franco, que chamou de “braço direito” de Michel Temer.

Zé de Abreu também comparou a polêmica do restaurante a outros episódios de intolerância, citando o caso do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, quando foi hostilizado no Hospital Albert Einstein, e a senadora Gleisi Hoffmann, ofendida por um grupo de manifestantes no aeroporto Afonso Pena de Curitiba no inicio de abril. “É um ódio que foi incutido na cabeça das pessoas como se nós fossemos leprosos. O que precisamos saber é que a corrupção agora esta sendo combatida verdadeiramente no Brasil”.


Comentários