Zé Ramalho desiste de participar de novo disco de Sérgio Reis

Zé Ramalho desiste de participar de novo disco de Sérgio Reis

Mais um artista desembarca da produção do novo álbum de Sérgio Reis, 81. No sábado (21) o cantor Zé Ramalho (71) anunciou que não vai participar nem autoriza a inclusão da música “Admirável Gado Novo” pelo sertanejo.
 

Segundo o colunista Ancelmo Gois, de O Globo a decisão do paraibano, que participou da gravação em 2019 como convidado, é por entender que agora, sua presença já não faz sentido. O compositor e sua editora também não liberaram a utilização da música.
 

Zé Ramalho se junta a outros artistas, como Maria Rita, Guilherme Arantes e Gutemberg Guarabyra (da dupla Sá e Guarabyra) que desistiram de participar da gravação do novo disco de Sérgio Reis depois que o ex-deputado viralizou em redes sociais convocando uma greve nacional de caminhoneiros como protesto contra os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).
 

O ato tem teor de apoio ao presidente Bolsonaro, que protagoniza frequentes embates com os magistrados.
 

O anúncio da manifestação – prevista para 7 de setembro, Dia da Independência – desencadeou uma série de críticas no meio artístico, de políticos e gerou uma ação a pedido da Procuradoria-Geral da República, autorizada pelo Supremo, na última sexta-feira (20) para identificar os responsáveis pela convocação.
 

Sérgio Reis e o deputado bolsonarista Otoni de Paula (PSC-RJ) estavam entre os investigados na operação da Polícia Federal em cumprimento à ordem do STF.
 

DEFESA
 

O cantor Sérgio Reis reagiu à repercussão das suas falas espalhadas em redes sociais primeiro com um forte abalo emocional, que, segundo sua mulher Ângela Bavini, o deixaram magoado e deprimido.
 

Depois, na primeira entrevista após os fatos, concedida ao repórter Roberto Cabrini (Record), pediu desculpas e disse estar sendo tratado como bandido. E desabafou: “estão querendo acabar comigo”.
 

A entrevista vai ao ar no programa Domingo Espetacular (22), às 19h45.


Corpo do cantor Agnaldo Timóteo é sepultado no Rio

Agnaldo Timóteo — Foto: Sesc Piracicaba/Divulgação

O corpo do cantor Agnaldo Timóteo foi sepultado início da tarde deste domingo (4) no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, no Rio de Janeiro. O artista morreu neste sábado (3), aos 84 anos, em decorrência de complicações da Covid-19 após 18 dias de internação.

Não houve velório e a despedida foi restrita a um pequeno número de parentes por conta das restrições impostas pela pandemia.

O cantor iniciou a carreira na década de 1960 e se consolidou com canções românticas. Na política, teve mandatos como deputado federal e vereador em São Paulo e no Rio de Janeiro

Agnaldo estava internado desde o dia 17 de março na UTI do Hospital Casa São Bernardo, na Zona Oeste do Rio. Médicos acreditam que o artista de 84 anos contraiu o coronavírus no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina. Ele chegou a tomar a segunda dose, no dia 15, dois dias antes da internação.

No último dia 27, Agnaldo precisou ser intubado para “ser tratado de forma mais segura” contra a doença, segundo a família.


Velha Roupa Colorida – Belchior

Final de ano sempre leva a grandes reflexões. A canção “Velha Roupa Colorida” do inesquecível Belchior  sempre dar aqueles que tem ouvidos afinados e sentimento  redobrado  sobre os atos de  vida uma pausa por instante para ouvir o som da própria voz que vem de dentro.  Um acalento para não esquecer a história feita  com coragem e paixão ao longo da existência. “Precisamos todos rejuvenescer”, diz a letra de Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes de 1976 e imortalizada por Elis Regina.



Pais e Filhos

Foi no dia 29 de setembro de 2011 o Show-tributo ao Legião Urbana no Rock in Rio. Começou exatamente às 18:50h da quele dia e contou com a presença de vários artistas do Pop Rock brasileiro. O show foi acompanhamento da Orquestra Sinfônica Brasileira. Entre as canções a lendária “Pais e Filhos”.


Morre João Gilberto, ícone da bossa nova, aos 88 anos

joao-gilberto-luto-musica

Do Estadão

O cantor e compositor baiano João Gilberto, um dos criadores da bossa nova, morreu neste sábado, 6, segundo uma postagem de seu filho João Marcelo nas redes sociais. A causa da morte ainda não foi confirmada pela família.

“Meu pai morreu. Sua luta foi nobre, ele tentou manter a dignidade à luz da perda da independência. Agradeço minha família por estar aqui por ele”, escreveu o filho do cantor.

A informação também foi confirmada pela neta Sofia. “Meu vovô foi o vovô mais amoroso e carinhoso que eu podia ter tido. Pedia pra eu ir pra lá todos os dias e quando estava tarde da noite e já estava na hora de eu ir embora, depois de eu já ter passado o dia todo com ele, falava: – mas já vai? Dorme aqui!”, diz ele, em texto publicado nas redes sociais.

João Gilberto era o próprio violão. Calado para o mundo, ruidoso consigo mesmo, percutia as ideias em sua caixa de ressonância de forma que só quem estivesse próximo o escutasse. Na vida em monastério que adotou por anos, seguia invisível e em total silêncio, abrindo a porta de seu apartamento apenas para poucos, como a filha Bebel Gilberto, a ex-namorada Claudia Faissol e sua filha com ela, Lulu.

João não estava pronto para se tornar um gigante. Nunca entendeu bem o que era isso. Menino de Juazeiro da Bahia, nadou nas águas do São Francisco e beijou garotas da vizinha Petrolina como se fosse normal. E era, até o dia em que avistou um caminhão vindo por uma estrada que cruzada sua cidade. Ao amigo que o acompanhava, disse como se recitasse uma oração: “Veja lá aquele caminhão, que maravilha. As árvores estão acariciando sua cabeça.” Árvores, pássaros, chuva, tudo parecia mais importante a seus olhos e ouvidos do que os próprios homens.

(mais…)


FORRÓ DO POVO TERÁ FLÁVIO JOSÉ, LORDÃO, CANGAIA DE JEGUE E MUITAS OUTRAS ATRAÇÕES

forro-itabuna

Em clima de festejos juninos o prefeito Fernando Gomes anunciou na tarde desta segunda-feira (10), durante entrevista coletiva, a realização do Forró do Povo 2019 “O São Pedro da Alegria” que acontecerá entre os dias 29 de Junho e 1º de Julho. O evento será realizado com o apoio do Governo do Estado da Bahia, através da Bahiatursa.

A festa contará com várias atrações: Cris Mel, Cangaia de Jegue, Gernard, Thaeme e Thiago, Flávio José, Enok Virgulino, Lordão, Vera Cruz, Filomena Bagaceira, Forró do Karoá e Ely Marques.


Tempo Perdido por Liah Soares

Tempo Perdido é uma cação da banda Legião Urbana. Hoje apresentamos aqui no Tempo Presente com uma “roupagem” nova, numa interpretação belíssima da cantora paraense Liah Soares.