Terceira parcela do Auxílio Brasil incluirá 3 milhões de famílias

Prevista para começar a ser paga na próxima terça-feira (18), a terceira parcela do Auxílio Brasil incluirá 3 milhões de famílias, anunciou hoje (13) o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Com a medida, o total de famílias atendidas aumentará para 17,5 milhões.

Com a promulgação da emenda constitucional que permitiu o parcelamento de precatórios (dívidas reconhecidas definitivamente pela Justiça), o valor da parcela passou para R$ 400. As famílias incluídas no programa receberão o Auxílio Brasil por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite a movimentação de depósitos em contas poupança digitais, até o recebimento do cartão.

As novas famílias não precisarão ir às agências para validarem o cadastro no Auxílio Brasil. Isso porque a inclusão no programa baseou-se em pedidos antigos processados pelo Ministério da Cidadania. “Esse cadastramento foi realizado, no mesmo modo que no auxílio emergencial lá atrás. Então, a validação já foi realizada”, explicou.

Leia mais na Agencia Brasil.


Inscrições para concorrer a vagas de trabalho no Censo 2022 na Bahia estão abertas até 21/01/2022

Estão abertas, até 21/01/2022, as inscrições para concorrer a uma das cerca de 207 mil vagas de trabalho do Censo 2022 em todo o país. Dessas vagas, 14.173 estão na Bahia, sendo 2.915 em Salvador e 11.258 fora da capital. 

As inscrições devem ser realizadas pelo site da Fundação Getúlio Vargas (FGV), organizadora da seleção: https://conhecimento.fgv.br/concursos/ibgepss21.

Há 12.485 oportunidades para recenseadores no estado: 2.627 para atuar em Salvador e 9.858 distribuídas por todos os outros 416 municípios baianos. As inscrições para concorrer às posições de recenseador/a custam R$ 57,50.

A escolaridade exigida é o ensino fundamental completo, e a remuneração é por produção. O IBGE preparou um simulador on-line, que calcula quanto os recenseadores devem receber, acessível em https://censo2022.ibge.gov.br/trabalhe-no-censo/estimativa-de-remuneracao.html.

Serão selecionados também 1.688 agentes censitários, sendo 1.202 agentes censitários supervisores (ACS) e 486 agentes censitários municipais (ACM).

(mais…)

Abertas Inscrições para Seleção do Cargill Global Scholars Program

  Institute of International Education – Escritório para América Latina e o Caribe, na Cidade do México, anuncia a abertura de inscrições para a Bolsa de Liderança da Cargill na sua versão 2021-2022, 10a Turma, para alunos de graduação. A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) está entre as 14 instituições parceiras da Cargill cujos discentes estão aptos a participarem da convocação em qualquer área de conhecimento.

O Cargill Global Scholars Program é uma oportunidade única de bolsa de estudos que oferece suporte financeiro, além de oportunidades de desenvolvimento de liderança por meio de seminários, eventos de networking e um programa de mentoria. Alunos de 1º e 2º ano de graduação podem se candidatar, mas também alunos de 3º ano com cursos de duração de cinco anos ou mais, que demonstrem alto desempenho acadêmico ( GPA mínimo de 7 ou equivalente) e potencial de liderança por meio de atividades extracurriculares/voluntariado/emprego remunerado, etc.

O processo de seleção dará atenção especial a candidatos que: demonstrem ter necessidade sócio-econômica; façam parte dum dos grupos de menor representação no país como mulheres, afro- descendentes, alunos universitários de primeira geração, etc.; possuam um nível de inglês que permita a execução de atividades nesse idioma (geralmente um nível B1 ou maior); e estudem uma das seguintes áreas de conhecimento: Engenharia de Produção, Engenharia Industrial, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia Agronômica/Agronomia, Tecnologia de Alimentos/Engenharia de Alimentos e Nutrição, e Gestão de Riscos.

A inscrição preenchida deve ser enviada online até 26 de maio de 2022, às 23h59, horário de Brasília. As entrevistas serão agendadas com todos os semifinalistas em meados de julho de 2022. Os vencedores serão notificados no final de julho de 2022. O selecionado como finalista, deverá estar no Brasil para participar do Seminário de Liderança 2022 que acontecerá até o final de agosto de 2022, em São Paulo.

Através do programa, a Cargill tem o intuito de fomentar e construir uma rede de futuros líderes que poderão inovar e contribuir de maneira positiva em suas comunidades. Para saber mais sobre esta oportunidade que visa desenvolver alunos de graduação acadêmica, profissional e pessoalmente, além de vivenciar atividades com alunos brasileiros e de 5 outros países em 2 seminários de liderança, clique aqui.


Saque-aniversário do FGTS de 2022 já está disponível

Os trabalhadores que optarem pelo saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos poucos começam a ter acesso à cota de 2022. As retiradas ocorrem conforme o mês de aniversário do trabalhador. Cerca de 1,3 milhão de cotistas nascidos em janeiro podem fazer o saque desde a última segunda-feira (3).

Criada em 2019 e em vigor desde 2020, essa modalidade permite a retirada de parte do saldo de qualquer conta ativa ou inativa do fundo a cada ano, no mês de aniversário, em troca de não receber parte do que tem direito em caso de demissão sem justa causa. Até agora, cerca de 17,8 milhões de pessoas aderiram ao saque-aniversário.

O período de saques começa no primeiro dia útil do mês de aniversário do trabalhador. Os valores ficam disponíveis até o último dia útil do segundo mês subsequente. Caso o dinheiro não seja retirado no prazo, volta para as contas do FGTS em nome do trabalhador.

Confira a lista na Agência Brasil


Medida pretende apoiar prefeituras no reparo da infraestrutura de áreas urbanas e rurais

A ajuda aos municípios baianos que sofreram com as fortes chuvas de dezembro, enfrenta o impasse da abertura de programas federais para liberação de recursos, uma vez que o orçamento da União ainda não foi publicado. Diante disso, a União dos Municípios da Bahia (UPB) vem articulando junto aos ministérios da Cidadania e do Desenvolvimento Regional a abertura, em caráter de urgência, de um Programa Proponente Específico para Gestão de Riscos e Resposta a Desastres.

A medida tem como objetivo apoiar as administrações locais que decretaram situação de emergência a reparar os inúmeros prejuízos gerados na infraestrutura das áreas urbanas e rurais.

O Presidente da UPB Zé Cocá explica que, o nível da água baixando, percebeu-se os estragos causados em pontes, estradas, rodovias, praças e residências. “Nos deparamos com um cenário de guerra. Vai ser necessária uma força-tarefa para reconstruir essas cidades e os municípios não conseguem fazer isso sozinhos, vamos precisar do aporte da União. Já encaminhamos ofício e estamos articulando com as equipes dos ministérios para viabilizar o aporte financeiro”, relata Zé Cocá, que é prefeito de Jequié, no Sudoeste baiano.

(mais…)

Bispo de Ilhéus coordena reunião com Cáritas, União Europeia, Unicef e Adveniat

“Hoje o sol despontou cedo. Que os seus raios de calor tragam a esperança da reconstrução e do recomeço”. A frase é de Eliodoro Santiago em frente à barraca onde vendia tempero verde na feira do Malhado, em Ilhéus. A sua casa e a pequena horta que abasteciam o seu negócio, situada nas imediações do distrito rural de Sambaituba,  não existem mais, foram levadas pela enxurrada do Rio Almada. “sobrou à vida, minha e da patroa, pela Graça de nosso Senhor Jesus Cristo,” bendiz o agricultor/feirante.

Eliodoro e sua esposa estão entre centenas de desalojados e desabrigados pelas enchentes nas cidades do sul da Bahia. Com as águas voltando aos leitos dos rios, o cenário é desolador. Nas ruas que existiam às margens do Rio Cachoeira, nos bairros Banco, da Vitoria, Vila Cachoeira e Salobrinho, amontoam-se lixo, móveis, eletrodomésticos e poucos vestígios de alvenarias ou fundações das antigas casas.

Mas, em meio a esse cenário de caos dom Giovani Crippa, bispo da Diocese de Ilhéus, coordenou, na manhã desta segunda-feira (3 de janeiro), uma reunião com membros da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), da Cáritas Brasileira do especialista para Emergências Rápidas da ECHO/União Europeia para as Américas, Roman Maicher, e a gestora do Programa Brasil da Cáritas Suíça, Valquíria Lima.

A reunião contou com a presença de vários padres, diáconos, leigos, representantes do poder público como vice-prefeito de Ilhéus Bebeto Galvão, dos vereadores Cláudio Magalhães e Nerival Reis, além de secretários municipais, foi realizada no salão paroquial da Igreja São João Batista, no Pontal. Os organismos internacionais estão mobilizados, junto às paróquias, entidades parceiras e aos Poderes Públicos dos municípios e do Estado, para socorrer as famílias atingidas pelas fortes chuvas.

(mais…)

Bahia registra 95 casos novos de Covid-19 e mais 9 óbitos pela doença

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 95 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,01%) e 119 recuperados (+0,01%). O boletim epidemiológico desta segunda-feira (3) também registra 9 óbitos. Dos 1.271.250 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.241.955 já são considerados recuperados, 1.776 encontram-se ativos e 27.519 tiveram óbito confirmado. Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.688.479 casos descartados e 262.495 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta segunda-feira. Na Bahia, 52.698 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Vacinação

Até o momento temos 10.726.229 pessoas vacinadas com a primeira dose, 261.198 com a dose única, 8.842.820 com a segunda dose e 1.395.047 com a dose de reforço.


Processo Seletivo abre 415 vagas para professor da rede municipal em Paulo Afonso

A prefeitura de Paulo Afonso – na divisa da Bahia com Alagoas e Sergipe – abre inscrições a partir de 5 de janeiro para um processo seletivo que prevê a contratação de 415 professores. O contrato é por tempo determinado. Há vagas para professores de ciências, geografia, história, português, inglês, matemática, educação física, entre outros.

As inscrições seguem até o dia 12 de janeiro. O candidato deve preencher a Ficha de Inscrição e Dados Curriculares, disponível no Centro Educacional Municipal de Paulo Afonso (Cempa), situado na Travessa Luiz Viana Filho, nº 100, no Centro de Paulo Afonso.

O local funciona das 8h às 12h e das 13h às 17h, sendo realizadas apenas em dias úteis. Outras informações podem ser obtidas através dos telefones (75) 3281-5144/ (75) 3281-3498. Mais informações no edital da prefeitura da cidade.(B.N.)


A enchente e a canoa

Por Josivaldo Dias

Nesse momento, relembro em minha memória, os anos de 1991, aos 11 anos de idade, a travessia de canoa com meu pai, as margens do rio Cachoeira no distrito da Estiva no município de Itapé, Sul da Bahia nas cheias. Naquela época, apesar de gostar muito dos passeios com meu pai, a enchente era motivo de preocupação. A comunidade ficava em estado de alerta e era uma certeza como 2 mais 2 são 4, que no mês de dezembro a chuva vinha nos visitar. Eu tinha medo da água barrenta, as águas balançavam a canoa de um lado a outro, conduzidas por dois homens de remo que nos passava tranquilidade, em meio àquela ponte baixa encoberta. Mas, segurança mesmo quem me passava, era meu pai, na certeza de que todo sábado, traríamos pra casa na roça, a feira realizada na cidade.  

Hoje, cerca de 30 anos depois, assisto de longe pela TV e redes sociais, o impacto desta enchente de 2021 na qual as ondas do Cachoeira foram altas, o suficiente para que as águas cobrissem todas as pontes e impedisse as travessias.  Dessa vez, a água sem pedir licença, ocupou ruas, praças, jardins, residências, escritórios, prefeituras e deixou um recado importante: BENS E RIQUEZAS SE VÃO COMO AS CORRENTEZAS DE UM RIO.

Até agora, tivemos explicações importantes sobre os fatos científicos, do não escoamento da água das chuvas no fluxo ‘normal’, dos fenômenos da natureza, da climatologia e da influência do homem na terra. Porém, explicações fundamentais sobre a ignorância, o oportunismo, a fake news, a cultura de jogar lixos na rua e a falta de humanidade revelada nesta crise de excesso de água, estas aí… ainda não se tem notícias de explicação. E ainda bem que estes fatos foram exceção.

Bom!  Como bons brasileiros, já é possível ver em ações nas ruas, a frase: “VERÁS QUE UM FILHO TEU, NÃO FOGE A LUTA”. Pegam na mão, não deixam a peteca cair, guiam a canoa para não virar e levam até margem segura. A semente da solidariedade nunca foi tão fértil neste tempo chuvoso. A bondade, àquela que não está escrita em livro – até por que esta, a história ainda vai ser contada –  se tornou protagonista e exemplo. Tirou a lama, alimentou o corpo e alma, aqueceu o coração e virou esperança para quem perdeu tudo na enchente.

A água, indispensável para os seres vivos, mesmo quando chega da natureza e de graça, se for além do necessário, tem o potencial de fazer estragos, neste caso da Bahia teve papel crucial. Limpou as sujeiras debaixo do tapete que durava anos, removeu ódio, mágoas, mal hábitos e costumes, ao mesmo tempo em que propagou o amor ao próximo.  A consequência desta enchente de água doce conseguiu unir tribos, comunidades, povos de classes diferentes e até os discordantes. Brotou uma nação mais solidária, comovida e atuante em prol da caridade que enche a maioria de nós de orgulho.   

O milagre da travessia do ‘rio muito cheio’ entre uma margem e a outra já é anunciado e visto sem binóculos, mesmo antes das águas de verão, da chuva de março irem embora. Pena que alguns não tem a capacidade de ver, muito menos de atravessar.  Chegam a recusar ajuda, realizando seus passeios turísticos como se vidas ao seu redor não estivessem em risco, pessoas sem teto, sem cobertor e sem comida. Ah! Esta ponte é longa e está encoberta para vencer o trajeto de imediato, ou descobrir um novo caminho.

O desastre do “temporal’ nas roças e nas cidades nas regiões baianas que desabrigou centenas de milhares de pessoas reforçaram as ideias de alguns economistas sobre o papel do Estado. Como aquelas do britânico John Maynard Keynes testada nas décadas de 1920 e 1930 nos Estados Unidos, de um Estado indutor, do pleno emprego que conserta os danos causados pelas crises de guerra, desastres sociais e econômicos. Ou então àquele Estado de bem estar social do leste europeu na segunda metade do século passado, pós-segunda guerra, onde as ações efetivas e subsídios agrícolas possibilitaram aumento da renda das classes menos favorecidas e trouxe a inclusão junto ao crescimento econômico. Ah! O individualismo e o liberalismo neste modelo com certeza, passam depois da margem.

Para não ir tão longe, e ficar bem didático, vamos relembrar o Estado Brasileiro dos primeiros 15 anos deste século. Sim! O Estado que uniu capital e trabalho, reduziu a pobreza através do aumento do consumo, gerando oportunidades com a produção e a educação. O Estado é o ente capaz de resolver crises estruturais, quando a onda de vez enquanto vem em forma de tempestade e fica sem controle pelos homens do remo. A recuperação das regiões alagadas e inundadas será essencial com o apoio, vontade política e bastante recursos financeiros do setor público.

Luiz Carlos Bresser-Pereira e Antônio Delfim Neto, economistas brasileiro, teóricos e ex-gestores públicos refizeram alguns de seus escritos sobre o papel do Estado na economia já algum tempo.  Luiz Gonzaga Belluzzo e Ladislau Dowbor botaram mais tinta em suas canetas: o Estado é fundamental e não pode ser mínimo no modo de produção capitalista. Ele é máximo, basta sentir o frio na barriga da tempestade chegando para perceber.

O FILHO TEU NÃO PODE FUGIR A LUTA, OH NAÇÃO!

É meu pai! Se você estivesse aqui, poderia até gostar de ver. A canoa, um meio de transporte existente há centenas de anos que utiliza da força e da energia humana para se locomover, salvou muitas vidas nesta enchente. Juntou-se à ela os novos meios de transporte modernos como botes, jet ski, helicópteros, computadores e softwares. Apesar da tristeza, a transformação há de surgir. Com a disposição do povo, de líderes comprometidos, e a garantia das instituições consolidadas, os desalojados estarão a salvos e protegidos. Não teremos medo do futuro!

A perplexidade desta “cheia” levou à tona outros fenômenos…

A água baixou, mas as lições ficaram!

Josivaldo Dias é Economista, especialista em Planejamento de Cidades e mestrando em Desenvolvimento Regional e Urbano.


“Maior desastre natural da história”, diz governador da Bahia

Da Agência Brasil

O governador da Bahia, Rui Costa , disse hoje (28) que o estado atravessa “o maior desastre natural da história”. Em entrevista coletiva, Costa disse que ainda não é possível dizer quando começará a reconstrução das áreas destruídas pelas enchentes que atingem o estado neste mês.

“A Bahia está devastada e ainda não é possível estipular quando as estradas vão ser recuperadas. Não sabemos a extensão. Vamos ter que olhar, caso a caso, a solução técnica. Em alguns lugares vamos ter que mudar a opção. Uma ponte de 50 metros de largura, por exemplo, que foi levada pela água pode ser um pouco maior, com 70 metros, para facilitar a passagem do rio”, adiantou.

Ainda segundo Costa, não será permitido que casas voltem a ser construídas em áreas de risco, próximas a rios ou em terrenos propensos a deslizamentos. O governador esclareceu que a prioridade das obras serão pontes e estradas essenciais que ligam os municípios a outras regiões e que estejam em locais de mais fácil acesso.

Não lembro de uma tragédia tão grande", diz governador da Bahia

Números

Já são 116 municípios afetados e o número de cidades que decretaram situação de emergência chega a 100. Segundo a Defesa Civil da Bahia, até o momento, 470 mil moradores foram prejudicados de alguma maneira pelos temporais. As enchentes do estado já deixaram 20 mortos e mais de 31 mil desabrigados.

“A sensação que nós temos é, pelas imagens que vemos, de um grande bombardeio em todo o estado”, disse o governador. Ele acrescentou que pelo menos 50 cidades tem casas embaixo d’água. “Agora que a água começa a baixar, a gente vê o estrago que foi feito em casas de pessoas simples, que fizeram um esforço danado para erguê-las.”

Auxílio

Sem adiantar quanto será dado a cada família, Rui Costa reiterou o apelo feito ontem (27) para que prefeitos façam os cadastros das pessoas afetadas pelas enchentes. “Vamos fazer um valor de auxílio financeiro para essas famílias, mas precisamos primeiro entender quantas pessoas foram prejudicadas.”

O governador está em Ilhéus, onde estão centralizadas as operações para atender a população afetada. Na entrevista, ele agradeceu a ajuda de diversos estados entre eles Maranhão, Ceará, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso e o Distrito Federal, que já anunciaram ajuda com recursos, donativos e até envio de bombeiros para socorrer a população.

Sobrevoo

Na manhã desta terça-feira (28) está previsto um sobrevoo de três ministros – João Roma (Cidadania), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Marcelo Queiroga (Saúde) – sobre as áreas mais afetadas pelas chuvas e enchentes no sul da Bahia.

Às 11h, está prevista uma coletiva dos ministros em Ilhéus (BA). O ministro da Cidadania, João Roma, visitou no domingo (26) a cidade de Ilhéus e outras áreas afetadas. No município, Roma afirmou que é crucial retirar as famílias das áreas de risco.