Sindilimp dialoga com a SEC sobre atrasos de salários dos terceirizadas em comunidades indígenas de Olivença

Reuniao_indios_sec_05_maio_2016Dificuldades no transporte dos estudantes e atrasos de salários dos trabalhadores terceirizados das comunidades indígenas Tupinambá da região de Olivença em Ilhéus, foi a pauta de uma reunião realizada nesta quinta-feira,05, na Secretaria Estadual da Educação-SEC, em Salvador.

Articulada pelo coordenador regional do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza da Região Sul e Extremo Sul da Bahia (Sindilimp) José Carlos Conceição de Jesus, a reunião tratou sobre o atraso de salários dos terceirizados de empresas como a Sandes, onde já passa de trinta dias, e dos vales transporte e vale alimentação.

“O caso pior é da empresa AML que tem 60 dias de atraso de salários e ainda os vales alimentação e transporte sem pagar”, disse preocupado, o dirigente José Carlos, ao Chefe de Gabinete da SEC, Wilton Teixeira Cunha.

Os índios, membros da comitiva, solicitaram também melhoria e regularidade do transporte escolar indígena que enfrenta diversas paralisações, devido a falta de repasse dos recursos em dia do Estado destinados as empresas de ônibus prestadora do serviço. “Queremos as condições para que nossos filhos estudem e aprendam,” afirmou um indígena Tupinambá.


Comentários